ABIQ
Press Releases

Imprensa > Press Releases

A busca por produtos funcionais deve impulsionar a venda crescente de queijos
22/04/2014

Entre as 12 tendências em Alimentação, Nutrição & Saúde 2014, de autoria de Julian Mellentin o aumento do consumo de produtos naturalmente funcionais e o renascimento do consumo de lácteos aparecem como as duas principais tendências em alimentação.
O consumo de queijos que já vem crescendo expressivamente no Brasil nos últimos cinco anos (passou de 3,5 kg per capita em 2008 para 4,66 kg percapita em 2013) está em linhacom essas novas tendências. Por natureza os queijos são alimentos funcionais e suas relevante propriedades nutricionais devem fazer crescer em importância sua inclusão em dietas saudáveis.
 
Queijos são alimentos naturais milenares.  Acompanham a humanidade há mais de 10. 000 anos.  São obtidos de uma única matéria prima natural - o leite, que por processos de coagulação, fermentação e maturação, se transforma em milhares de tipos conforme a região em que são produzidos e conforme o leite que lhes dá origem:  leite de vaca, de ovelha, de cabra ou de búfala.
 
Suas propriedades nutricionais são amplamente reconhecidas:  são a mais rica fonte de cálcio, fonte natural de vitaminas A e D (essencial para fixação do cálcio) e são ricos em vitaminas do complexo B ( B2, B9 e B12 especialmente).  Por exemplo, para se obter a mesma porção de cálcio fornecida por 28g de queijo mussarela (2 fatias em média) será necessário a ingestão de 260g de brócolis cozidos.  Os queijos são também fonte de proteínas de alta disponibilidade com 95% aproveitamento pelo organismo.
 
Exatamente nas proteínas dos queijos se encontram muitas das suas propriedades funcionais.  As proteínas são transformadas em peptídeos que por sua vez se transformam em amino ácidos essenciais. Segundo a professora Dra. Ana Lúcia Barreto Penna da Unesp de São José do Rio Preto, os processos de maturação dos queijos produzem reações químicas e bio químicas que convertem a lactose, a proteína e a gordura, e em alguns queijos, os citratos.  Essas transformações naturais do processo de produção de queijos lhes conferem propriedades terapêuticas tais como:  a redução do colesterol total, do colesterol LDL e dos níveis sanguíneos de homosteínas, a inibição da placa aterosclerótica e a redução da pressão arterial. Os queijos desempenham também ação antitrômbica e efeito opióide e contribuem para manter a estabilidade hemodinâmica. Já o CLA, ácido linoleico conjugado, cuja maior fonte são os queijos, tem potencial efeitos carcinogênicos.  Os queijos maturados não tem lactose e são uma alternativa excelente para o consumo de lácteos para os intolerantes à lactose.
Com sua ampla diversidade de sabores, seu apelo gastronômico e suas propriedades de alimento naturalmente funcional e de alto perfil nutricional está mais que na hora de se rever os conceitos de que queijos engordam e fazem mal.
 
Proteínas e suas funções biológicas
 
Hidrólise de Proteínas de Queijos
 
Proteínas
Função biológica
Lactoglobulina
Carreador de retinol, ácidos graxos e triglicerídeos, Transferência de imunidade passiva, Atividade imunomodulatória e Anti-carcinogênica
Lactalbumina
Síntese de lactose, Tratamento de doenças crônicas induzidas por stress, Atividade anti-carcinogênica
Serum albumina
Síntese de lipídeos, Atividade antioxidante e Anti-carcinogênica
Lactoferrina
Atividade antimicrobiana, Antifúngica, Anti-proliferativa e Antiviral, Atividade imunomodulatória, Anti-trombótica
Caseinomacropeptideo
Atividade anti-cariogênica, Atividade imunomodulatória, Atividade prebiótica e Anti-trombótica
Imunoglobulinas
Atividade imunomodulatória, Crescimento e desenvolvimento
Lactoperoxidase
Atividade antimicrobiana e Antiviral, Atividade imunomodulatória
 
 
Peptídeos
Atividade biológica
Lg f(58–61)
Inibição de ACE (3,5 M), Anti-hipertensiva
Lg f(142–148)
Inibição de ACE
Lg f(103–105)
Inibição de ACE (82,4 M), Anti-hipertensiva
Lg f(1–8)
Inibição de ACE
CMP f(112–116)
Anti-trombótica
CMP f(163–171)
Anti-trombótica
CMP f(165–171)
Anti-trombótica
CMP f(106–111)
Inibição de ACE
CMP f(106–112)
Inibição de ACE
Lactoferrina f(14–42)
Anti-bacteriana
La (104-108)
Inibição de ACE (733-M) Anti hipertensiva
 

Fonte: ABIQ, Dra. Anna Lúcia Barreto Penna e Dra. Flora Spolidoro

Voltar

Veja também:
 
Press Releases
 
  ABIQ na Mídia
 

Endereço: Praça Dom José Gaspar n° 30 - 10° Andar - Centro - São Paulo - SP
Tel/Fax: (11) 3259-9213 / 3259-8266 / 3120-6348 - Desenvolvimento: Interpágina